Dê a você a oportunidade de ser feliz!
PSICOTERAPIA: TERAPIA SEXUAL, PROBLEMAS DE RELACIONAMENTO, TRANSTORNOS DE ANSIEDADE





RELACIONAMENTO


Relacionamento conjugal sempre foi um grande mistério para todos nós. Conhecemos alguém, nos apaixonamos, começamos a conviver e aos poucos, vamos descobrindo as nossas diferenças de opinião, as nossas diferenças no modo de pensar, as nossas diferenças no modo de ser. No entanto, como estamos entorpecidos pelo sentimento da paixão, relevamos muita coisa, fazemos vista grossa e não damos a devida importância a fatores que aos poucos vão ficando cada vez mais evidentes, e dessa forma, conforme o relacionamento vai amadurecendo, por outro lado, as diferenças vão se tornando cada vez incômodas, cada vez mais um empecilho no nosso dia a dia, e cada vez mais também, vamos precisando ter jogo de cintura para contornar ou resolver o que nos aflige e atrapalha em nosso relacionamento.

O que fazer então? Não basta ter amor, é preciso ter coragem e disposição, e é preciso também ter consciência do que está acontecendo, em que ponto está o relacionamento, quais são os pontos em que devemos nos alertar, tomar mais cuidado e corrigir.

Como lhe dar com os problemas e como não deixar que eles estraguem o nosso romance, diminua o nosso entusiasmo, desgaste a nossa união e mine o nosso sentimento pelo nosso amado? Como conviver com o intermitente ciúmes do outro, por exemplo, como suportar a insistente mania do meu companheiro(a) de gastar mais do que deve, mais do que ganha? Como suportar a desorganização dele(a), que parece não ter fim? Como ensiná-lo a ter mais responsabilidade com as nossas coisas? O que fazer para não deixar cair na rotina e como inovar constantemente? Como evitar que parentes se intrometam, nos causando aborrecimento e quando isso acontecer, como agir? E no que diz respeito aos filhos, como contornar ou resolver as divergências que fatalmente ocorrem no que diz respeito a educação? Como saber perdoar sem ser submisso? Saber pontuar sem ser agressivo(a)? Saber pleitear sem fazer pressão? E reivindicar aquilo que nos é de direito, como saber? Muitas vezes nosso parceiro(a) não faz, não é, não fala, não porque não quer ou se nega, mas porque nós não comunicamos a ele(a) o nosso desejo, a nossa vontade, e aí, convenhamos, fica difícil.

Além disso, um relacionamento conjugal, só é saudável quando há, de fato, uma cumplicidade entre ambos, quando os dois se entendem, sem poréns, sem entretanto, quando os dois são capazes de abrir mão da própria felicidade pela felicidade do outro, ou seja, precisamos sim ser menos egoístas e ter mais compaixão, por inteiro, por completo e precisamos participar mais da vida do outro, estar mais presente, ter mais interesse naquilo que o outro faz e gosta. Quer ver um exemplo? Você sabe onde o seu parceiro(a) está nesse exato momento? Você sabe qual é o prato preferido dele? Você sabe qual é a música que ele mais gosta? Qual foi a melhor viagem que ele fez? Qual filme ele mais gostou? Que momento vocês viveram juntos que foi mais impactante, na visão dele? Isso é um aprendizado que muitas vezes demanda tempo, oportunidade e orientação para que o casal não perca o norte, sendo que o outro, se não tiver sendo orientado, precisará de paciência e compreensão, entender que o seu parceiro está investindo nos dois, mas geralmente esse aprendizado, essa construção rumo a felicidade e harmonia plena se dá em conjunto, ou seja, é com os dois ao mesmo tempo, um incentivando e acreditando no outro, porque uma união é sempre bi-lateral, é uma via de mão dupla.

É meus senhores, viver em conjunto, em comunhão, em casamento, mesmo que seja só um namoro, é uma arte, e para ser feliz nele, é preciso ter paciência e sobretudo persistência, tendo como parâmetro número um o respeito e a fidelidade, no intuito de construir uma relação séria e destinada ao sucesso.

Muito temos que amadurecer, muito temos que aprender, muito temos que nos desenvolver, inclusive emocionalmente, para suportar a ideia de que nem sempre o outro vai nos surpreender, nem sempre o outro vai nos agradar, e que decepções fazem parte e conflitos também, pois se unir a alguém, significa sempre abrir mão um pouco de nossas vidas pessoais, um pouco de nossa individualidade, de nossas certezas, para nos juntarmos a quem nós gostamos, e dessa maneira, com resiliência, formarmos uma união feliz, mas isso não é assim, tão fácil.

Terapia de casal:
É a psicoterapia em que ambos participam e tem como objetivo principal o foco nas dificuldades específicas enfrentadas pelo casal. A terapia pode auxiliar o casal a pôr o relacionamento de volta nos trilhos. Trabalha-se juntos para descobrir onde as coisas não estão indo bem e descobrir qual a melhor forma de consertar.
É a oportunidade que um tem de ouvir o outro, sem viéz, sem má interpretação e dos dois debaterem entre si, sempre com respeito, e sendo direcionados corretamente pelo terapeuta.
A psicoterapia é um canal para que o casal entenda melhor suas dificuldades e possa trabalhar em cima delas

O papel do psicólogo É ajudar os parceiros a descobrirem seus ponto frágeis dentro do relacionamento e determinar junto ao casal as mudanças necessárias, tanto no individual como no relacionamento do casal, esclarecer quais são os problemas e como enfrentá-los, procurar a melhor forma para que haja um entrosamento fácil, para que ocorra um diálogo franco, para que os desentendimentos sejam plenamente esclarecidos e que as brigas sejam revistas, onde um possa compreender plenamente a intenção do outro.
Além disso, cabe ao psicólogo fortalecer psicologicamente cada um, elevar a auto estima e confiança de ambos quando estas forem abaladas devido a brigas e  discussões, permitir que cada um se abra no ambiente terapêutico com a finalidade de dissolver as rusgas que provavelmente venham a existir

Motivos que podem levar o casal a crise: Muitos casais procuram ajuda da terapia devido a dificuldade de entrosamento sexual, divergências financeiras, concorrência, stress, educação dos filhos, dificuldades na comunicação, infidelidade, ciúmes, incompatibilidade de crenças, falta de sensibilidade, violência doméstica, falta de comprometimento com o outro, angústias, dúvidas, brigas, etc...
Em um mundo na qual o ritmo de vida é cada vez mais acelerado, a falta de tempo e as pressões do dia a dia, podem acabar prejudicando o relacionamento de casais muito ocupados, que podem acabar negligenciando a relação, priorizando outras coisas que não seja o interesse do outro, e no aspecto sexual, não corresponderem as expectativas do parceiro, tanto na quantidade quanto na qualidade da relação, o que será mais um fator de brigas e discussões, criando um abismo no casal, uma série de fantasias e suposições em ambos, e consequentemente, sensações ruins, insegurança, baixa auto estima, desapego, etc 

Objetivos gerais da terapia:

  • identificar os objetivos comuns
  • melhorar a comunicação
  • esclarecer as necessidades de cada um
  • aumentar a tolerância
  • negociar e equilibrar as diferenças individuais
  • acabar com a competição financeira
  • melhorar a vida sexual
  • superar desentendimentos
  • ensinar a compartilhar as responsabilidades
  • aprimorar a qualidade da relação                                                                                                                                     
Conduta sugerida: Terapia de casal ou individual
Para outras informações ligue: (11) 9 9825-2219 ou mande e-mail: psicologofiuza@gmail.com


Invista em você! Comece hoje mesmo a sua terapia. Ligue para os telefones acima e marque sua 1° consulta!

Vivencie o amor de forma plena, absoluta, estabeleça relações sadias, o
nde haja cumplicidade e respeito.

Recomendo esse filme, Divã para dois , vale a pena!